Linux 5.19 é lançado com suporte melhorado a chips Intel e Apple Silicon

Linux 5.19 é lançado com suporte melhorado a chips Intel e Apple Silicon

Linus Torvalds reservou o último domingo (31 de julho) para fazer o anúncio da versão final do Linux 5.19. Toda nova versão traz correções, ajustes de desempenho e novos recursos. Aqui não é diferente. Melhorias no consumo de energia em notebooks com processador Intel e suporte incrementado aos chips Apple M1 ou M2 estão entre os destaques.

Como instalar Windows em um PC com LinuxO Ubuntu Linux é tão popular que tem vários “sabores”; veja quais sãoLinux (imagem ilustrativa: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Muita atenção para a Intel

Oficialmente, o kernel Linux 5.19 esteve em desenvolvimento por quase três meses. A nova versão chega com a proposta de solucionar um problema que muitos usuários vinham encontrando em notebooks com processador Intel: aquecimento excessivo e, consequentemente, drenagem da bateria.

Ainda do lado da Intel, o novo kernel traz suporte ao In-Field Scan, driver que permite detectar problemas relacionados às CPUs da companhia (mas que deve ser útil somente em servidores e aplicações corporativas).

O campo dos chips gráficos não foi deixado de lado. O Linux 5.19 aprimora o suporte às placas de vídeo Intel Arc (Alchemist) e abre o caminho para as GPUs integradas da futura geração de processadores Raptor Lake-P (13ª geração).

Os desenvolvedores deram muito atenção à Intel, mas não exclusivamente. Vale mencionar que a nova versão do kernel também traz avanços no suporte às futuras CPUs AMD Zen 4, bem como às GPUs AMD RDNA 3.

Suporte à plataforma Apple Silicon avança

Provavelmente, o maior destaque do Linux 5.19 é a ampliação do suporte à plataforma Apple Silicon, isto é, aos chips M1 e M2. No anúncio da nova versão do kernel, o próprio Linus Torvalds comemora esse avanço, a seu modo:

Em uma nota pessoal, a parte mais interessante aqui é que eu fiz o lançamento (e escrevo sobre isso) em um laptop arm64. É algo que venho esperando há muito tempo, e finalmente é realidade, graças à equipe do Asahi. Temos hardware arm64 rodando Linux há tempos, mas nada era realmente usável como plataforma de desenvolvimento até agora.

Com “arm64”, Torvalds se refere a chips baseados em arquitetura Arm de 64 bits, que é o caso da plataforma Apple Silicon. Já Asahi é um projeto liderado pelo desenvolvedor Hector Martin (Marcan) que visa justamente permitir que o Linux funcione em Macs com chip M1 ou M2.

As contribuições oriundas do projeto Asahi começaram a ser incorporadas ao kernel Linux na versão 5.13. A versão 5.19 complementa esse trabalho trazendo suporte ao controlador de NVMe para Apple M1/M2 e ao driver Apple eFuse (útil para comunicação via PCI Express e USB-C, por exemplo).

Outros atributos novos incluem suporte ao trackpoint de laptops Lenovo ThinkPad X12, a um driver Wacom para canetas com três botões, a firmwares compactados com Zstd, além de compatibilidade melhorada com teclados mecânicos sem fio Keychron.

Linux 5.19: disponibilidade

A versão final do kernel Linux 5.19 já está disponível para download. Mas a sua chegada às distribuições Linux depende do cronograma de atualização desses projetos. Confira o site e os canais de comunicação da distribuição que você usa para ter mais detalhes sobre isso.

Convém destacar que a próxima versão do kernel deve ser lançada até dezembro, mas não sob o número 5.20. Torvalds deixou claro que pretende disponibilizar a versão seguinte como Linux 6.0.

Com informações: OMG! Ubuntu!, Phoronix.

Linux 5.19 é lançado com suporte melhorado a chips Intel e Apple Silicon


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.