Lucro da Apple cai enquanto vendas de Macs e mais produtos desaceleram

Lucro da Apple cai enquanto vendas de Macs e mais produtos desaceleram

A Apple anunciou nesta quinta-feira (28) os resultados financeiros para o terceiro trimestre fiscal, encerrado em junho de 2022. Apesar de ter batido um novo recorde de receita, a empresa teve retração em diversas categorias de produtos, com exceção de iPhone e serviços. O reflexo foi a queda de 10,6% no lucro, que ficou em US$ 19,4 bilhões.

Comparativo: iPhone 13, Mini, Pro ou Pro Max; qual celular comprar?Uma olhada de perto no MacBook Air 2022, com Apple M2 e carinha de ProApple (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

Conforme o relatório divulgado nesta quinta, a Apple teve aumento de 2% na receita do trimestre, com a entrada de US$ 83 bilhões. O CEO Tim Cook atribui o resultado aos “esforços constantes para inovar”.

A venda de iPhones se manteve acima do previsto, com alta de 3% ano a ano, um total de US$ 40,7 bilhões. E, apesar de a Apple não especificar as vendas por modelos ou gerações de produtos, entende-se que o resultado é relacionado ao sucesso do iPhone 13 mesmo após o ciclo inicial de lançamento.

Segundo dados da Counterpoint Research, a linha lançada em setembro de 2021 teve três variantes no top 10 de smartphones mais vendidos do mundo: o iPhone 13, 13 Pro e 13 Pro Max. O iPhone 12 apareceu em quarto lugar, antes de outros aparelhos de marcas concorrentes.

iPhone 13 Pro (Imagem: Thai Nguyen/Unsplash)

Receita com Macs e outros dispositivos desacelera

Na contramão do sucesso com seu carro-chefe, a Apple viu as vendas de Macs, iPads e mais dispositivos desacelerarem.

Enquanto o mercado esperava receita de US$ 8,7 bilhões, a categoria de computadores da empresa foi responsável por trazer apenas US$ 7,4 bilhões. O número representa uma queda de 10% em relação ao mesmo período do ano passado. Tim Cook relacionou o resultado às restrições de oferta e à alta do dólar.

No trimestre anterior, a companhia previa a perda de até US$ 8 bilhões devido aos problemas com fornecimento de suprimentos e bloqueios de produção na China, em decorrência do lockdown. O impacto, porém, ficou abaixo de US$ 4 bilhões.

Vale lembrar que a Apple apresentou os novos MacBook Air e MacBook Pro de 13” com chip M2 em junho, na WWDC, cerca de três semanas antes do fechamento financeiro. E em alguns mercados, como o Brasil, as vendas só começaram bem depois, na segunda metade do mês.

MacBook Air de 2022 (Imagem: Felipe Ventura / Tecnoblog)

Os iPads continuaram apresentando queda na receita, seguindo a tendência do segundo trimestre. Desta vez, foram registrados US$ 7,2 bilhões para a categoria, 2% abaixo no comparativo anual.

O segmento de wearables, casa e acessórios, que engloba dispositivos como o Apple Watch e os AirPods, obteve receita de US$ 8 bilhões, contra quase US$ 9 bilhões estimados, uma queda de 8%.

Tim Cook disse à CNBC que é possível enxergar a inflação, mas que não está pausando contratações, como em outras empresas. “Vemos isso em coisas como logística e salários, e em certos componentes de silício, e ainda estamos contratando, mas estamos fazendo isso deliberadamente”.

Já Luca Maestri, CFO da Apple, disse que os resultados “continuaram a demonstrar a capacidade [da empresa] de gerenciar nossos negócios de forma eficaz, apesar do ambiente operacional desafiador”. Houve aumento de 15% nas despesas operacionais, que chegaram a US$ 12,8 bilhões.

Categoria de serviços é a aposta certeira da Apple

App Store da Apple (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

Ainda que tenha crescido ligeiramente menos do que o previsto (US$ 19,6 bilhões contra US$ 19,7 estimados), o segmento de serviços da Apple teve alta de 12% ano a ano. Como reforçamos a cada novo relatório financeiro da companhia, trata-se de uma aposta certeira para a diversificação de receita.

Essa categoria inclui não somente os serviços de streaming, como Apple TV+ e Apple Music, mas também as vendas com App Store, contas no iCloud, AppleCare e mais. Anunciado em junho, o Pay Later também chega para tentar fortalecer o time de serviços da empresa.

“Estabelecemos um recorde de receita no trimestre de junho e nossa base instalada de dispositivos ativos atingiu um recorde histórico em todos os segmentos geográficos e categorias de produtos”, disse Maestri. Ao todo, a Apple tem 816 milhões de assinaturas pagas em seus serviços.

Lucro da Apple cai enquanto vendas de Macs e mais produtos desaceleram


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.