Uma olhada de perto no MacBook Air 2022, com Apple M2 e carinha de Pro


MacBook Air de 2022 (Imagem: Felipe Ventura / Tecnoblog)

O MacBook Air de 2022 marca mais uma fase da Apple em se afastar da Intel: tivemos a revolução com o processador M1, e agora temos a evolução com o chip M2. E as mudanças não aconteceram só por dentro: o Tecnoblog esteve no Apple Park em Cupertino, Califórnia, para conferir em primeira mão o mais novo notebook da empresa.

Hands-on em vídeo

Resumo da WWDC 2022: iOS 16, iPadOS com janelas flutuantes, M2, novo CarPlayQuais modelos de iPhone vão atualizar para o iOS 16?

MacBook Air lidera vendas de notebook

Antes de tudo, precisamos entender como essas mudanças são importantes. Segundo a Apple, o MacBook Air é o modelo de notebook mais vendido do mundo. Quem vem em segundo lugar é o MacBook Pro.

Isso pode soar estranho para nós, brasileiros, porque a Apple costuma cobrar mais caro aqui em relação a outros países. Sem essa disparidade de preço, os produtos ficam bem mais atraentes: por exemplo, o iPhone 11, 12 e 13 estão no top 5 dos celulares mais vendidos do mundo.

E é assim que a maioria das pessoas verá o MacBook Air de 2022: como uma opção acessível e potente para quem quer um notebook leve e não requer o Windows.

Traseira do MacBook Air 2022 com logotipo da Apple (Imagem: Felipe Ventura / Tecnoblog)

MacBook Air, mas que lembra o Pro

O novo MacBook Air é a cara dos modelos MacBook Pro maiores (de 14″ e 16″): a tela tem notch e bordas mais finas; o teclado adota teclas de função maiores; e a câmera frontal traz um merecido upgrade.

O corpo do MacBook Air é mais “quadradão” que os modelos anteriores, sem a curvatura que havia na tampa e na parte inferior. É semelhante ao que vemos no MacBook Pro.

MacBook Air 2022 tem 1,13 cm de espessura (Imagem: Felipe Ventura / Tecnoblog)

Aqui, a espessura de 1,13 cm é distribuída quase que igualmente por todo o chassi. Ainda assim, o novo MacBook Air tem volume 20% menor que seu antecessor, e é um pouquinho mais leve com 1,24 kg.

A tela de 13,6 polegadas possui display Liquid Retina (nome chique para LCD LED IPS) e gerou imagens bem vibrantes em nosso teste rápido. Ela tem suporte a 1 bilhão de cores e chega a até 500 nits de brilho (contra 400 nits no MacBook Air anterior).

O notch não está ali para reconhecimento facial, já que o desbloqueio é feito via Touch ID. Assim como no MacBook Pro, ele ajuda a tela a ocupar mais espaço frontal, com bordas mais finas.

MacBook Air de 2022 tem notch na tela (Imagem: Felipe Ventura / Tecnoblog)

Para ser franco, eu vi tantas vezes esse notch na tela dos MacBooks que já me acostumei. Tive um estranhamento quando isso foi apresentado pela Apple no ano passado, mas agora parece algo mais “normal”. A solução mais elegante para esconder a webcam talvez seja colocá-la atrás do display, mas isso deve demorar algum tempo até ser viável (até mesmo em celulares).

E falando na webcam: sim, finalmente a Apple colocou uma câmera Full HD para chamadas em vídeo mais nítidas. O MacBook Air com M1 ainda tem qualidade máxima de 720p, o que é muito pouco para quem precisa participar de reuniões no Google Meet, Microsoft Teams, Zoom e semelhantes.

Teclado, MagSafe e cores bonitas

Além da tela e webcam, outra semelhança entre o MacBook Air de 2022 e os modelos Pro está no teclado. Agora, as teclas de função (F1, F2 etc.) são maiores, e o Touch ID ganha a aparência de uma tecla adicional – em vez de ser um quadradinho à parte no canto superior direito.

Isso significa que o usuário terá um alvo maior para ajustar o volume, mudar o brilho da tela ou desbloquear o macOS, o que é bacana. No entanto, as outras teclas são basicamente as mesmas do Magic Keyboard presente no MacBook Air com M1, e são igualmente boas para se digitar. É clichê, mas é verdade: não se mexe em time que está ganhando.

Teclado Magic Keyboard do MacBook Air traz algumas mudanças (Imagem: Felipe Ventura / Tecnoblog)

Temos ainda o MagSafe, que carrega a bateria de 52,6 Wh e se encaixa de forma magnética, liberando as duas portas USB-C para usar com dispositivos ou adaptadores.

O cabo de carregamento é trançado, ou seja, é mais flexível e pode se curvar mais sem quebrar. E ele ainda vem na mesma cor do MacBook Air: cinza espacial, prateado, estelar (azul) e meia-noite (preto) – este último é de longe o meu favorito.

MacBook Air na cor preta (Imagem: Felipe Ventura / Tecnoblog)

O MacBook Pro ainda não tem essa paleta de cores – ele está disponível apenas em cinza e prata – mas, claro, a diferença em recursos ainda é notável.

Por exemplo, a tela do MacBook Pro – em suas versões de 14 e 16 polegadas – é melhor. Há suporte aprimorado a HDR, brilho de até 1.600 nits, e display ProMotion de 120 Hz para imagens mais fluidas. O novo MacBook Air fica limitado a 60 Hz.

O MacBook Pro vem com 3 portas USB-C, entrada HDMI e leitor de cartão de memória, enquanto o Air tem somente duas portas USB-C. (Ambos também vêm com entrada de 3,5 mm para fones de ouvido, claro.)

A entrada para fone de ouvido permanece na lateral direita do MacBook Air (Imagem: Felipe Ventura / Tecnoblog)

A evolução no Apple M2

E os processadores M1 Pro e M1 Max ainda são melhores que o Apple M2 anunciado na WWDC.

Por dentro, o novo MacBook Air traz o Apple M2, que promete desempenho 18% maior no processador e 35% maior no chip gráfico se comparado com seu antecessor. Não é nada que deixe o M1 obsoleto, por isso vejo o novo chip como uma evolução, em vez de revolução.

A Apple faz questão de comparar o M2 com processadores da Intel. O Photoshop roda até 5 vezes mais rápido no MacBook Air de 2022 que em um modelo antigo (de 2019) sem Apple Silicon. Por sua vez, editar vídeos no Final Cut Pro leva até 15 vezes menos tempo – e tudo de forma silenciosa, já que não temos ventoinha aqui.

Inclusive, um representante da Apple usou o Final Cut Pro para editar uma linha do tempo com 7 vídeos 4K ao mesmo tempo. Durante a edição, o programa precisa alternar entre vários arquivos de forma rápida, o que poderia gerar engasgos – mas isso nem fazia cosquinha no MacBook Air.

Novo MacBook Air é fino e leve (Imagem: Felipe Ventura / Tecnoblog)

Claro, ainda queremos conferir o desempenho de mundo real do Apple M2, mas não duvidamos que o chip é de fato potente. Com uma bateria de até 18 horas, o MacBook Air de 2022 parece ser uma opção muito atraente para quem busca um notebook fino.

O preço será salgado para os brasileiros – ele começa em R$ 13.299 – mas tem tudo para manter o Air como o notebook mais vendido globalmente.

Felipe Ventura viajou para Cupertino a convite da Apple.

Uma olhada de perto no MacBook Air 2022, com Apple M2 e carinha de Pro


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *