Roteador da Starlink é liberado pela Anatel e já pode ser usado no Brasil

Roteador da Starlink é liberado pela Anatel e já pode ser usado no Brasil

Anatel liberou mais um roteador da Starlink no Brasil. Homologado pela Agência Nacional de Telecomunicações, o dispositivo para se conectar à internet via satélite a SpaceX já pode ser comercializado no Brasil. O aparelho recebeu o sinal verde na mesma semana em que a operadora foi oficializada no país.

O que significa homologado pela Anatel?Como calcular o preço da Starlink para minha casaMais um roteador da Starlink foi homologado no Brasil (Imagem: Divulgação/SpaceX)

O roteador foi aprovado pela agência em 11 de maio. De acordo com o certificado, a Anatel homologou o dispositivo fabricado pela SpaceX de modelo UTR-211, que é identificado pelo nome comercial Starlink Router. Os documentos ainda apontam para uma única unidade fabril, localizada no Taiwan.

Outros detalhes foram revelados pelos arquivos da agência. Na lista de especificações técnicas, por exemplo, encontram-se menções ao Wi-Fi 802.11 b/g/n/ac. Também há citações às frequências de 2,4 GHz e 5 GHz.

Algumas fotos do roteador também foram reveladas. As imagens mostram um dispositivo similar ao modelo mais recente, que está em exposição no site da Starlink dos Estados Unidos. No Brasil, a página exibe uma geração mais antiga. 

Dos novos equipamentos, resta apenas a antena UTA-212, que ainda não foi homologada. Mas a operadora de internet via satélite da SpaceX teve o receptor UTA-211, de formato circular, homologada pela Anatel em dezembro de 2021. Em novembro, o roteador de modelo UTR-201 foi certificado no Brasil.

Roteador da Starlink é certificado pela Anatel (Imagem: Reprodução/Tecnoblog)

Starlink é oficializada no Brasil, mas não em todo país

Esta não é a única boa notícia a quem quer utilizar a internet via satélite da SpaceX. Na semana passada, a operadora atualizou o mapa de disponibilidade e incluiu o Brasil entre os países atendidos. Ainda assim, a cobertura só envolve grande parte de Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo e Santa Catarina.

Mas esse é apenas o começo, pois a Starlink pretende ampliar a cobertura nos próximos meses. Segundo a operadora, regiões, como o Rio Grande do Sul, devem receber a cobertura no final do semestre. Além disso, existe a previsão de levar a solução ao Espírito Santo e cidades ao norte de Minais Gerais até o fim de 2022.

A expansão será continuará nos próximos meses para outras regiões até 2023. O problema é que tudo isso custa caro: em uma simulação feita pelo Tecnoblog na sexta-feira (13) para São Paulo (SP), o kit de instalação saiu por R$ 3 mil. A mensalidade, por sua vez, é de R$ 530. Tudo isso sem contar o frete e os impostos.

Óbvio, se você mora em cidade grande, não há vantagem alguma aqui. Para fins de comparação, pago R$ 119,90 por mês para ter 300 MB de internet via fibra ótica no Rio de Janeiro (RJ). Contudo, esta não é a mesma realidade de regiões rurais, por exemplo, cujo acesso de cabeamento é, muitas vezes, bem complexo. 

Afinal, até a TIM está utilizando satélites de baixa órbita para levar o 4G a áreas remotas.

Certificado de homologação do roteador da Starlink (Imagem: Reprodução/Tecnoblog)

Colaborou: Everton Favretto

Roteador da Starlink é liberado pela Anatel e já pode ser usado no Brasil


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.