Os macetes mais valiosos no Google para quem trabalha com programação


Macetes no Google para quem trabalha com programação (imagem: Guilherme Reis/Tecnoblog)

Para quem olha de fora, desenvolvedores só precisam sentar na frente do computador e escrever código como se esse fosse um trabalho mecânico. Se você é da área, sabe que não é assim. Às vezes, é necessário gastar algum tempo no Google para encontrar soluções para dúvidas ou problemas de programação.

Como pesquisar no Google de maneira eficienteComo usar a busca avançada do Google [sites e imagens]

Recorrer ao buscador para isso não é nenhum demérito. Mas é importante saber como pesquisar, do contrário, você não sairá do lugar. A boa notícia é que alguns truques simples podem tornar o Google um grande aliado do seu trabalho. Oito deles são apresentados nas próximas linhas.

Note apenas que, como programa costuma ser uma tarefa feita no computador, os macetes mostrados aqui foram executados no desktop. Mas as dicas também podem funcionar em dispositivos móveis.

1. Buscar em inglês é um bom começo

A ideia de fazermos este texto surgiu quando nos deparamos com uma mensagem de Carol Cedro, no Twitter. No tweet, a front-end e estudante de engenharia de software pergunta justamente se existe alguma técnica para procurar soluções (de programação) no Google.

Ao passarmos a pergunta para Camila Satie e Lyon Müller, desenvolvedores do Tecnoblog, ambos fizeram coro a uma dica que apareceu nas respostas que Carol recebeu: pesquise em inglês, nem que você tenha que usar o Google Tradutor.

Uma das razões para isso é o fato de que, em plataformas como GitHub e Stack Overflow (e tantas outras), o inglês é usado pela maioria dos participantes. Logo, as chances de a solução para seu o problema já ter sido resolvida em um tópico nesse idioma são maiores.

Além disso, há um número muito grande de desenvolvedores que postam conteúdo sobre a área em blogs, sites especializados ou no YouTube, por exemplo.

Não é que você não possa pesquisar em português. Camila afirma já ter encontrado muitas soluções no nosso idioma. Mas o inglês é mesmo um caminho mais promissor.

2. Pesquise no Google usando aspas

Quando você faz uma pesquisa no Google usando mais de uma palavra, o buscador tenta exibir nos resultados páginas que contêm todas ou a maioria delas.

Isso pode ser bom em algumas situações, mas ruim em outras. Por exemplo, se você busca informações sobre uma mensagem de erro específica ou uma sintaxe, o ideal é que o Google exiba apenas resultados que contêm a expressão exata que você usou.

Felizmente, é possível instruir o buscador a pesquisar pela expressão exata. Basta colocá-la entre aspas.

Suponha, por exemplo, que você se deparou com o erro “illegal start of an expression” ao programar em Java. Para buscar soluções para esse problema, pesquise no Google usando exatamente essa expressão, incluindo as aspas. Repare que os resultados só mostrarão páginas que têm exatamente essa frase.

Pesquise no Google usando aspas (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

3. Faça o Google excluir resultados com determinado termo

Os algoritmos de busca do Google são aperfeiçoados constantemente para exibir resultados contextualizados, isto é, que correspondem às reais intenções do usuário. Apesar disso, ainda é possível se deparar com resultados que não têm relação direta com o que você está buscando.

Novamente, existe um truque que ameniza esse tipo de situação. Basta inserir no Google a expressão a ser pesquisada seguida pelo termo (ou os termos) que deve ser ignorado. O termo precisa ser precedido do sinal de negativo (-).

Imagine que você precisa pesquisar por “exceptions” na linguagem Python, mas não quer visualizar páginas que relacionam esse assunto a erros. Você pode fazer a seguinte busca:

python exceptions -errors

Com isso, o Google irá priorizar páginas que contêm “python” e “exceptions”, mas não “errors”.

4. Use asterisco no lugar de termos dinâmicos

Você já sabe que pesquisar com aspas é útil para sintaxe ou mensagens de erro. Mas, às vezes, o aviso tem uma informação dinâmica, isto é, que muda a cada vez que é gerado. Esse informação pode ser uma contagem de tempo ou uma data específica, só para dar alguns exemplos.

Neste caso, as aspas podem não funcionar bem, a não ser que você substitua a informação dinâmica por um caractere curinga (asterisco). Via Twitter, o desenvolvedor Sergio Soares deu um exemplo de como esse truque pode ser relevante. Ele fez uma pesquisa com a seguinte expressão, mas não teve resultado:

release failed after 2.54s error=github/gitlab/gitea

Então, Soares trocou a informação dinâmica “2.54s” por *. Deu certo:

release failed after * error=github/gitlab/gitea

Note que esse macete também funciona com pesquisas entre aspas.

Resultado sem e com asterisco (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

5. Instrua o Google a pesquisar só em determinado site

Você também já sabe que há sites específicos para desenvolvedores. Entre eles estão os já mencionados GitHub (repositório, discussão e perguntas) e Stack Overflow (perguntas), além de serviços como DevDocs (documentação), Hacker News (discussão) e Indie Hackers (discussão e perguntas).

Esses e tantos outros sites costumam ter conteúdo muito útil para desenvolvedores, mas, frequentemente, não é fácil chegar ao tópico que realmente que te interessa. Pode acontecer de o mecanismo de busca do site não ser muito preciso, por exemplo.

Felizmente, é possível pedir para o Google exibir resultados apenas com links para determinado site. Por exemplo, suponha que você esteja com problemas com o framework Next.js. Você pode, então, pedir para o Google mostrar resultados sobre o assunto somente dentro do Stack Overflow.

Como? Digitando site: seguido do endereço do site a ser pesquisado mais o termo de pesquisa. No nosso caso, fica assim:

site:stackoverflow.com next.js

Faça o Google pesquisar só em determinado site (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

6. Pesquise apenas em determinado tipo de arquivo

Muitas vezes, é necessário pesquisar sobre uma informação muito específica, como um conceito que, normalmente, é abordado em documentos acadêmicos. Nessas circunstâncias, pode ser interessante usar o Google para pesquisar somente em arquivos com determinado formato, como PDF, DOCX e TXT.

Por exemplo, suponha que você precise rever o conceito de cadeia de Markov. Há muitos trabalhos acadêmicos sobre o assunto. Você pode, então, pesquisar por esse termo seguida da instrução filetype mais o tipo do arquivo. Aqui, queremos resultados em PDF. O comando no Google fica assim:

cadeia de Markov filetype:pdf

Observe que, ao fazer isso, o Google só mostrará arquivos em PDF sobre cadeia de Markov.

Vários formatos são compatíveis com esse truque, entre eles, os de códigos-fonte, por exemplo: CPP (C++), PY (Python) e CS (C#).

Uma dica adicional: quando a busca tem relação com um tema que costuma ser abordado em trabalhos acadêmicos, usar o Google Acadêmico pode ser um bom jeito de refinar a pesquisa.

Pesquise em determinado tipo de arquivo (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

7. Converta medidas com o Google

Fahrenheit versus Celsius, milhas versus quilômetros, libras versus quilos, dólar versus real, enfim. Vira e mexe um desenvolvedor precisa lidar com conversões. Você pode usar bibliotecas ou scripts prontos para isso. Mas, em uma revisão de código, por exemplo, talvez você queira se certificar de que determinada conversão está correta. Bom, recorra ao Google.

É simples: basta digitar a medida original seguida de em ou to e a medida esperada. Suponha, por exemplo, que você precise converter 42 milhas em quilômetros. Basta digitar:

42 milhas em quilômetros

Ou:

42 milhas em km

Ou, em inglês:

42 miles to km

Se você precisa converter 345 euros em dólares americanos, basta digitar:

345 euros em dólar

Ou, em inglês:

36 euros in dollars

A mesma lógica vale para vários tipos de conversão, é só você testar.

Use o Google como conversor de medidas e valores (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

8. Mande o Google mostrar o cache

Não é raro buscas sobre programação trazerem fóruns entre os principais resultados. O problema é que a discussão nesses sites pode ser tão intensa que, quando você acessa a página, já não encontra nela a resposta que buscava.

Mas, sim, também existe um truque para situações como essa: faça o Google exibir o cache daquela página.

Você pode fazer isso de duas formas. Na primeira, volte à página de busca, clique na seta para baixo ao lado do endereço do site e, depois, em “em cache”.

Na segunda, copie o endereço do site de destino, digite cache: na barra de endereços do navegador ou no próprio Google e, em seguida, cole o link (sem espaço). Fica assim:

cache:tecnoblog.net

Esse macete também pode ser usado para quando a página de destino estiver fora do ar, obviamente.

É claro que as dicas mostradas nesta página podem ser usadas para outros fins, não só para programação. Mas a ideia aqui é dar orientações que podem ser realmente úteis para aspirantes ou profissionais da área. Se você trabalha com desenvolvimento e quer adicionar algum truque, deixe a sua dica na comunidade do Tecnoblog!

Os macetes mais valiosos no Google para quem trabalha com programação


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *