Google Play sugere remover componente “perigoso” do YouTube Vanced no Android


O Google está fazendo de tudo para encerrar as atividades do YouTube Vanced — app usado para remover anúncios sem assinar o Premium. Após interromper o desenvolvimento de novas versões do aplicativo, o gigante das buscas começou a emitir avisos de segurança no Android, pedindo aos usuários que desinstalassem o programa por causa de um componente “perigoso”.

O que é e como funciona o YouTube Premium? [Vantagens em assinar]Como usar o YouTube Premium de graça [Período de teste]Site do YouTube Vanced (Imagem: Bruno Gall De Blasi/Tecnoblog)

Apesar de ter sido descontinuado pelos criadores, o YouTube Vanced ainda pode ser usado por pessoas que já tenham baixado o aplicativo no celular Android. A única limitação é que não é mais possível atualizar o app para novas versões pela Google Play de forma automática.

O YouTube Vanced só funciona em conjunto com outro aplicativo: o Vanced Manager. Segundo relatos de usuários nas redes sociais, o Google teria classificado o Vanced Manager como um componente perigoso no Play Protect. Assim, usuários que ainda têm o app instalado no Android são avisados que precisam removê-lo para manter o celular protegido.

Até o momento, o Google não confirmou oficialmente a inclusão do Vanced Manager no Play Protect. O jornalista Mishaal Rahman, do blog Esper.io, comentou em seu Twitter que a empresa pode classificar como “perigoso” qualquer componente que acesse os arquivos na raiz do sistema operacional para instalar aplicativos.

Ao clicar na mensagem exibida pelo Play Protect, a ferramenta de proteção do Google diz que o Vanced Manager “tentou burlar as proteções de segurança do Android”. Esse mesmo aviso é mostrado quando o recurso identifica malwares ou tentativas de rooting no celular. Logo abaixo do texto, aparece um botão para desinstalar o app.

Google pode estar abusando do Play Protect

O Play Protect do Android deve ser usado apenas para proteger o celular de ameaças reais. No caso do Vanced Manager, somente a versão 2.6.0 é apontada como possivelmente perigosa — a versão mais nova 2.6.2 não exibe avisos —, e o Google nem especifica o motivo pelo qual o app é considerado prejudicial.

Se o Google estiver abusando do Play Protect apenas para remover o aplicativo por questões judiciais, a ferramenta poderá perder credibilidade entre os usuários. O Vanced violou os termos de serviço do YouTube, mas é trabalho da Justiça decidir o destino do aplicativo, não do Google.

Com informações: Android Police, XDA Developers.

Google Play sugere remover componente “perigoso” do YouTube Vanced no Android


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *