Recebe e-mails demais? Startup quer cobrar doação para envios desconhecidos

Recebe e-mails demais? Startup quer cobrar doação para envios desconhecidos

Quem nunca foi sobrecarregado pela quantidade imensa de e-mails que chegam na caixa de entrada todos os dias? Uma startup norte-americana quer resolver o gargalo de mensagens fazendo com que remetentes completamente desconhecidos e fora da lista de contatos do usuário tenham que doar dinheiro à caridade para enviar o e-mail.

Rival do iFood, app de entrega sem taxas é lançado pela prefeitura do RioO que é um e-mail transacional?A arroba (@) é o símbolo usado nos endereços de e-mail e remete à internet como um todo (Imagem: Vitor Pádua/ Tecnoblog)

A proposta é da startup Gated — o nome é em alusão à proteção feita ao e-mail do usuário contra spams e mensagens indesejadas. A princípio, é uma solução que chega para limpar a caixa de entrada do Gmail que vai além dos filtros padrões do Google.

Uma empresa quer te enviar um e-mail com marketing sobre uma promoção ou uma campanha publicitária? Vai precisar doar para fazer isso. Uma pessoa desconhecida quer te vender algum produto ou falar sobre um evento? Ela também vai precisar destinar dinheiro à caridade que o dono da conta quiser. O valor mínimo para envio é de US$ 2, mas pode ser definido pelo dono da conta. Desse dinheiro, 70% é repassado para a instituição em questão.

Para administrar os e-mails de desconhecidos, a Gated cria uma pasta separada na conta de Gmail da pessoa. Andy Mowat, investidor anjo da startup, explica que o software usado pela empresa automaticamente produz essa lista com base em quem o usuário se comunicou previamente. Mensagens de endereços que não estão presentes no histórico entram em uma pasta separada, e os remetentes são informados que precisam doar à caridade para alcançar o dono da conta.

Gated diz que não lê e-mails, apenas metadados

Claro, só a visão privilegiada sobre o histórico de trocas de e-mails de usuários levanta questões de privacidade. A princípio, a Gated diz que não lê o conteúdo das mensagens, e sim apenas os metadados de remetente e recipiente.

Outro problema é a limitação de compatibilidade do software da Gated com outros serviços de e-mail além do Gmail: o Google foi a única empresa que aprovou o programa da startup. Mowat afirma que a empresa está colaborando com a Microsoft para uma nova avaliação que pode tornar o serviço compatível com o Outlook. Por enquanto, o investidor afirma que as companhias estão com um “pé atrás” com colaborações, porque muitas exigem agora que todos passem por uma “verificação de segurança”.

Por resolver um problema que afeta quase todo mundo que tem um e-mail, a Gated tem feito sucesso com o boca a boca, e conta com isso para aumentar a lista de espera de 2,5 mil pessoas mesmo antes do lançamento, de acordo com Mowat.

Com informações: TechCrunch

Recebe e-mails demais? Startup quer cobrar doação para envios desconhecidos


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.